Publicidade

'Serra não é improviso', diz Guerra no lançamento da pré-candidatura tucana

Aécio e Fernando Henrique também discursaram no evento em Brasília.
Praticamente no mesmo horário, Dilma se reúne com centrais sindicais.


O primeiro a discursar na convenção para lançar a pré-candidatura do tucano José Serra à presidência neste sábado (10) foi o presidente do PSDB, Sérgio Guerra, também coordenador da campanha. Ele garantiu: "Serra não é um improviso. É parte integrante da construção da história brasileira”. Segundo o senador, o ex-governador de São Paulo “é o quadro mais qualificado para assumir o comando do Brasil”.

O presidente do PSDB ressaltou o apoio dos partidos de oposição à pré-candidatura de Serra. “Bom exercício de unidade e colaboração esse, que hoje aqui reúne companheiros de partidos do Brasil inteiro”, disse. “A presença de Roberto Jefferson [presidente do PTB] é importante para nós, a presença do PMN é importante para nós, do PSC é importante para nós.”

Guerra alfinetou a pré-candidata do PT para a Presidência, Dilma Rousseff. Segundo o senador, escolher Dilma seria seguir o caminho do “improviso e aventura”. “Nosso país tem apenas duas opções, avançar com líder experiente ou seguir com o improviso. (...). O Brasil quer seguir a aventura de alguém que jamais foi líder de nada, sempre foi apenas auxiliar? Queremos seguir o caminho desconhecido, do improviso, do passado de insensatez ou seguir um líder sensato, sem qualquer desvio de conduta, desvario ou desequilíbrio”, questionou.

Em seu discurso, Guerra relembrou a trajetória de Serra, filho de imigrante italiano que assumiu a presidência da União Nacional dos Estudantes (UNE) aos 20 anos. O senador lembrou ainda o exílio do ex-governador no Chile e a carreira acadêmica nos Estados Unidos, como aluno na Universidade de Cornell e depois como pesquisador em Princeton. “É um lutador que logo cedo se revelou um líder”, disse.

O senador lembrou ainda o período em que Serra assumiu o Ministério da Saúde, durante o governo do ex- presidente tucano Fernando Henrique Cardoso. “Não há dúvida que foi o melhor ministro da Saúde que o Brasil já teve. Alguns dos programas postos em prática tiveram reconhecimento internacional”, disse.

Serra chegou ao evento pouco antes das 11h, e entrou no auditório ao lado de FHC. A apresentadora do evento é a modelo Ana Hickman, e a cantora Graça Cunha cantou o hino nacional no seu início.

FHC e Aécio
Fernando Henrique classificou Serra como um líder em seu discurso. "Líder provado, líder querido, líder eleito, líder democrático."

Ele fez críticas ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Nós vamos querer um Brasil que ao olhar para o passado o difama? Vamos querer um Brasil que no presente transforma tudo em marketing? Ou vamos querer um Brasil que construa o futuro? Serra é o construtor do futuro," disse FHC.

Líder provado, líder querido, líder eleito, líder democrático

"Mais de uma vez eu disse que só se pode entregar um país como o Brasil a quem tem qualidade de liderança. Essas qualidades não saõ natas. Vão se formando. Serra construiu a sua condição de líder." Ao terminar seu discurso, Fernando Henrique concluiu: "A hora é agora, é hora do Serra".

O ex-governador de Minas Gerais, Aécio Neves, que abriu mão de disputar a indicação do PSDB para a presidência com Serra, também falou no evento. "Ninguém tem proposta melhor que o nosso companheiro José Serrra e estarei do seu lado," garantiu.

Ele também fez críticas ao PT. "O Brasil não foi descoberto em 2003. Os avanços que hoje ocorrem e eu reconheço no Brasil, vieram a partir da luta e do trabalho de muitos democratas que hoje estão aqui participando desse ato. Ao PT, partido com o qual disputaremos principalmente essas eleições, também não é licito julgar que a sua história se resume aos oito anos de governo do presidente Lula."

"Queremos um governo que avance mais e que faça menos propaganda. Hoje é dia de enorme alegria. Coração cheio de esperança porque tenho convicção," concluiu Aécio. "Se o Brasil é muito melhor é porque tivemos grandeza de colocar interesses nacionais acima dos interesses partidários."

Também discursaram no evento os presidentes do PPS, Roberto Freire, e do DEM, Rodrigo Maia. Estão presentes, entre outros, os governadores de São Paulo, Alberto Goldman, de Minas Gerais, Antonio Anastasia, e Yeda Crusius, do Rio Grande do Sul, além de prefeitos, senadores e deputados. O ex-governador de SP Geraldo Alckmin também participa da convenção.

Dilma Rousseff
Principal oponente de Serra na disputa presidencial de outubro, a ex-ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, foi lançada como pré-candidata do PT em fevereiro. Com a oficialização deste sábado, Serra dá início à sua segunda corrida pela Presidência. Em 2002, ele perdeu a disputa para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Quatro anos depois, quando Lula se reelegeu, o escolhido para representar o PSDB na eleição havia sido José Geraldo Alckmin. Na ocasião, Serra concorreu ao governo de São Paulo, cargo que ocupou até o final do mês passado.

Praticamente no mesmo horário do lançamento da pré-candidatura de Serra, Dilma Rousseff participa em São Bernardo do Campo do lançamento de um estudo de seis centrais sindicais sobre emprego e qualificação. Marcado para às 11h, as duas maiores centrais sindicais do país, Central Única dos Trabalhadores (CUT) e a Força Sindical, participam do encontro.
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...